Páginas

30 novembro, 2020

Relatório Novembro (2020)

Photo by Gabby K from Pexels

Carreira


  • Zero, nem sei mais o que é carreira...

Corpo


  • Treino - retorno a academia - melhorando força e resistência. 
    • Treino A (Peito+Costas+Cardio) aumentando as cargas
    • Treino B (Perna+Abdômen) - voltei esse mês após liberação médica - fase de readaptação e dor muscular no retorno
    • Treino D (Treino caseiro) - nada relevante: melhorando nas paralelas e ainda capengando nas barras
    • Treino E (Cardio ao Ar Livre) nada relevante: bom demais correr com phone wireless
  • Dieta e Suplementação - sem mudanças, salvo prescrições médicas temporárias. Testando SAMe: ajudou (articulações).
    • um dia errei na dose de cafeina + ioimbina e bateu uma rápida arritmia, mas já resolvi isso.
  • Descanso - dormindo bem na maior parte das noite. Usando calmante natural regularmente
  • Médico/Dentista etc - tudo ok
    • Quiropraxia: fiz três sessões em novembro - minha postura melhorou, uma dor no pescoço sumiu e senti melhoras em geral. O bom é que poderei deduzir o custo (até agora em R$ 330,00) ano que vem do IR
  • Ambiente - limpeza + aromaterapia: usando óleo essencial de bergamota

Finanças


  • Imóvel - inventário se arrastando
    • Socopa virou Singulare - grande bosta. A maldita da corretora Socopa mudou de nome e ainda alterou a interface do usuário. Não sei pra que fizeram essa meleca - perdi uns 15 minutos só pra entender a configuração atual cheia de inutilidades pra mim que sou Buy and Hold - claro, fizeram isso pra favorecer a ideia de trader, imagino pra faturar mais ainda nas comissões. Coisas da vida. 
    • Títulos vencidos: dois títulos de renda fixa privada venceram (LC FLU AVISTA CFI + CDB FLU BANCO LUSO BRASILEIRO) e já peguei o dinheiro. Vou segurar uns meses na poupança como "reserva de oportunidade".
    • Comprei - podia ter feito subscrição de outros ativos, mas meu negócio atual é diversificação: 



Hobbies

  • Entretenimento - lendo livros/gibis, vendo filmes, jogando games (em especial FFV de Snes - já cheguei no 3º mundo!) - para mais detalhes sobre cultura nerd confira meu outro blog, onde tem posts sobre o que já vi cultura pop.
 
Ataque de Titãs:
Estória incrível


Mente 

  • Psicológico - tudo ok.
  • Leitura Diária - To lendo vários livros ao mesmo tempo no Kindle enquanto vou de trem para o trabalho, Terminei o livro abaixo. Sempre que consigo também vejo documentários.

boa introdução sobre meditação 


Organização 


  • Casa - sem novidades
  • T.I. - feito backup do blog.
  • Vestuário - tenho usado meias de compressão e o resultado é satisfatório, fora que são imperceptíveis debaixo da calça.
  • Produtividade - melhorando hábitos de leitura. Ando testando nootrópicos com relativo sucesso: na prática não parecem ser mais importantes que uma boa noite de sono e alimentação balanceada. Parece confirmar a conclusão do youtuber Jason. Mesmo assim, podem ser uma ajuda em momentos passageiros de estafa.

café da manhã
"nootropicado "

Social 

  • Família - tudo ok .
  • Fofoca: vida de beta um dos cunhados da minha mulher mora no interior  na casa da mãe numa cidade com menos de 20 mil habitantes e trabalha na prefeitura na área de T.I. há quase 20 anos. Vi o salário dele na internet: R$ 1600 (pouco mais do que o gari municipal ganha). Fato: ele se formou em engenharia depois dos 40 há pouco tempo e nada de fazer outro concurso pra ganhar mais ou procurar uma empresa privada pra trabalhar. Fato: tem dois filhos (crianças, futuros betas sociais). Fato: a mulher trabalha e ganha R$ 2.000 reais. Fato: ela ganha mais que ele em um cargo em uma empresa privada que só pede nível médio. Fato: ele tá gordo, com problemas de saúde (ainda desconhecidos, pois ele não vai ao médico descobrir), não pratica educação financeira e não tem plano de saúde. Fato: quando alguém fica doente, não procuram a rede pública - vão na rede particular e dão "um jeito" pedindo emprestado para parentes. Teve um exame recente que a mulher dele fez que custou R$ 1900 e uma consulta antes disso que custou cerca de R$ 800. Vou parar de narrar os fracassos por aqui...
  • Trabalho - tudo ok  e sem mais reuniões. 
    • Tive alguns plantões no final de semana - quase trabalhei o suficiente para merecer meu salário... A melhor aprendizagem foi trazer comida de casa (várias marmitas) para não prejudicar demais a dieta (furei em alguns momentos, claro; mas não abusei)
  • União Estável - tudo ok. 


Transcendência

  • Caridade - só doação eletrônica.
  • Igreja - zero.
  • Memento Mori - cada dia mais próximo, mas sem pressa de chegar.: seguindo em viagem lenta.



__________________________________________________


25 novembro, 2020

[Livro] Como Proust pode mudar sua vida (1997)/ Alain de Botton - Parte 3

Photo by Evelyn Chong from Pexels

Como abrir os olhos


Os grandes pintores têm o poder de abrir nossos olhos por causa da receptividade incomum de seus próprios olhos para aspectos da experiência visual, para os jogos de luz no fundo de uma colher, a maciez fibrosa de uma toalha de mesa, a pele aveludada de um pêssego ou os tons rosados da pele de um idoso.

A felicidade que pode surgir quando lançamos um segundo olhar sobre algo é essencial para a concepção terapêutica de Proust, pois revela até que ponto nossa insatisfação pode derivar da nossa incapacidade de olhar apropriadamente para nossa própria vida, e não de uma deficiência inerente ao nosso cotidiano. A apreciação da beleza de pães não impede nosso interesse por um castelo, mas, se não formos capazes de apreciá-los, devemos questionar nossa capacidade geral de apreciação.

A memória voluntária, a memória do intelecto e dos olhos, nos [dá] apenas fac-símiles imprecisos que se parecem tanto com o passado quanto os quadros de pintores ruins lembram a primavera (…) Então, não acreditamos que a vida é bela porque não a recordamos, mas, se sentirmos o sopro de um aroma há muito esquecido, ficamos repentinamente inebriados. Da mesma maneira, achamos que não amamos mais os mortos porque não os lembramos, mas, se por acaso nos deparamos com uma velha luva, caímos em prantos.


Como ser feliz no amor


 Nós apenas conhecemos de verdade o que é novo, o que repentinamente apresenta à nossa sensibilidade uma mudança de tom que nos abala, o que o hábito ainda não substituiu por pálidos fac-símiles.

o fato de haver algo fisicamente presente está longe de constituir a circunstância ideal para notá-lo. De fato, a presença talvez seja o próprio elemento que nos estimula a ignorar ou a negligenciar tal coisa, pois achamos que já fizemos todo o trabalho simplesmente garantindo o contato visual.

Se um longo relacionamento com um amante muitas vezes gera tédio, uma sensação de conhecer bem demais essa pessoa, o problema pode, ironicamente, ser que não a conhecemos suficientemente bem. Enquanto a novidade inicial do relacionamento não deixa dúvidas quanto à nossa ignorância, a subsequente presença física confiável do amante e as rotinas da vida em comum podem nos iludir e nos fazer pensar que alcançamos uma familiaridade genuína e maçante, mas, na verdade, é possível que se trate apenas de uma falsa sensação, fomentada pela presença física,


Para Proust, uma injeção de ciúme é a única coisa capaz de resgatar um relacionamento arruinado pelo hábito. Um conselho para quem deu o passo fatal da coabitação: Vivei inteiramente com a mulher e não vereis mais nada do que vos fez amá-la; é certo que os dois elementos desunidos, pode o ciúme ajuntá-los novamente.

Basta que receemos perdê-la para esquecermos todas as outras. Seguros de a conservar, comparamo-la a essas outras, que imediatamente preferimos a ela.

Como abandonar os livros


(...) que todos os livros podem fazer por seus leitores; isto é, ressuscitar aspectos valiosos, embora menosprezados, da experiência, os quais estavam até então entorpecidos pelo hábito e pela falta de atenção.

(…) Não há maneira melhor de nos conscientizarmos a respeito do que nós mesmos sentimos do que tentando recriar em nós mesmos o que um mestre sentiu. Nesse esforço profundo, é nosso próprio pensamento, junto com o do nosso mestre, que trazemos à luz.

Devemos ler livros escritos por outras pessoas a fim de conhecer o que nós sentimos; são nossos próprios pensamentos que deveríamos desenvolver mesmo que seja com a ajuda do pensamento de um outro escritor. Portanto, uma vida acadêmica plena exigiria que julgássemos que os escritores que estudamos articularam em seus livros uma quantidade satisfatória das nossas próprias preocupações e que, ao entendê-las por meio de tradução ou comentário, estivéssemos simultaneamente entendendo e desenvolvendo as partes espirituais significativas daqueles autores.

E é aí que reside o problema de Proust, pois, na sua visão, os livros não poderiam nos conscientizar de muitas coisas que sentimos. Talvez pudessem abrir nossos olhos, nos sensibilizar, intensificar nossos poderes de percepção, mas, em dado momento, esse efeito cessaria, não por coincidência, não de maneira ocasional, não por má sorte, mas inevitavelmente, por definição, pelo forte e simples motivo de que não somos o autor. Chegaria um momento, em todo livro, no qual sentiríamos que algo é incongruente, mal-entendido ou restritivo, e isso nos daria a responsabilidade de deixar nosso guia para trás e de continuar nossos pensamentos sozinhos.

Uma das grandes e maravilhosas características dos bons livros (que nos permite ver o papel ao mesmo tempo essencial e limitado que a leitura pode desempenhar em nossa vida espiritual) é que, para o autor, os livros podem ser chamados de “Conclusões”, mas, para o leitor, são “Provocações”. Sentimos fortemente que nossa própria sabedoria tem início quando a do autor termina e gostaríamos que ele nos desse respostas quando tudo o que ele é capaz de fazer é nos fornecer desejos (…) Esse é o valor, e também a inadequação da leitura. Transformá-la em disciplina é atribuir um papel grande demais ao que é apenas um incentivo. A leitura está no limiar da vida espiritual e pode apresentá-la a nós, mas não a constitui.

Contanto que a leitura seja para nós o instigador cujas chaves mágicas abriram as portas daqueles lugares recônditos de nós mesmos nos quais não saberíamos como entrar, seu papel em nossa vida é salutar. Por outro lado, ele se torna perigoso quando a leitura, em vez de nos despertar para os pensamentos próprios, tende a tomar seu lugar, quando a verdade não se configura mais para nós como um ideal que só podemos concretizar por meio do progresso íntimo do nosso próprio pensamento e dos esforços do nosso coração, mas como algo material, depositado entre as folhas de livros, como mel inteiramente preparado por outros e que só precisamos pegar das estantes das bibliotecas e experimentar passivamente em total repouso da mente e do corpo.

Transformar [a leitura] em disciplina é atribuir um papel grande demais ao que é apenas um incentivo. Ler está no limiar da vida espiritual e pode apresentá-la a nós, mas não a constitui. Até mesmo os melhores livros merecem ser abandonados.



_____________________________________________

23 novembro, 2020

O Hábito de se Isolar

 

pexels


Introdução 


Nenhum homem é uma ilha e precisamos de relacionamentos para sermos felizes e produtivos. Não conheço ninguém que sem amigos, mulher ou família tenha sido feliz (putas não contam).

Todo homem tem que se dar o direito ao solitário ócio criativo e você tem que ser sua melhor companhia nesse momento, com ou sem meditação. 

A agressividade natural masculina (será a testosterona?) precisa ser aplicada em atividades construtivas para render frutos, mas: sem descanso, sem energia. Nossa mente é limitada

Sem algum isolamento não se consegue pensar direito, pois o ruído em geral:  mulher falando, televisão alta, vizinho gritando, cachorro latindo, motor chiando, liquidificador etc), ele atrapalha o foco ou relaxamento a depender do momento (abafadores ajudam, música clássica também, mas nada se compara ao normal silêncio noturno).


A Caverna Masculina


Nem todo mundo tem o luxo de ter um cômodo em casa só para si e há aqueles que só podem ficar sozinhos dentro de um carro em uma garagem ( ou um iate para os mais abastados).

De qualquer forma, sem se afastar física e temporariamente da vida que se leva (ou dos problemas que o assolam), dificilmente alguém obterá o distanciamento necessário para ver a si mesmo ou outros com a clareza e lucidez necessárias. 

Ou melhor: ficar de boa, sozinho, aproveitando o momento e a vida, ainda que seja para tocar uma bronha ou pensar em amores perdidos.

No meu apezinho, tenho um quarto apertado que serve para muitos fins (home-office + local de estudo + biblioteca + micro academia + depósito de minhas quinquilharias). A decoração dele é simples, mas como foi feita com meus recursos financeiros e intelectuais, tenho prazer só de olhar para ele e basta adentrá-lo que já sinto melhor: acalma minha alma.

Conclusão


Enfim, alheio a tudo e a todos, menos a si mesmo, o homem pode recobrar parte da sanidade que o ambiente social lhe rouba. É a hora de "desfragmentar o hard disk cerebral" na paz da solidão. 


Lembre-se: 


"Todos os problemas do homem vêm de uma coisa só: ele não consegue passar um bom tempo sozinho, em silêncio, repousando dentro de um quarto." (Blaise Pascal)


Afinal, cada dia é um desafio e é preciso estar preparado para ele. 

Grande abraço!

______________________________________________________________

Sites Consultados:


  • http://randsinrepose.com/archives/a-nerd-in-a-cave/
  • http://www.livrosepessoas.com/tag/biblioteca-roberto-campos/
  • https://brasil.elpais.com/brasil/2015/01/29/ciencia/1422546931_773159.html
  • http://avgn.wikia.com/wiki/The_Nerd_Room
  • https://adrenaline.uol.com.br/forum/threads/foto-do-seu-cantinho-1920x1080-usar-apenas-jpg.561517/page-358
  • http://www.hardmob.com.br/boteco-hardmob/308056-oficialmob-cantinhomob-poste-foto-do-cantinho-40.html
  • https://www.htforum.com/forum/forums/galeria-dos-membros-do-forum.28/
Foto: Nerd Room


18 novembro, 2020

[Livro] A Bíblia (2007)/ Karen Armstrong - Parte 1




  • Obs.: as citações do livros foram marcadas com uma fonte diferente.

O livro é um bom resumo sobre a trajetória da Bíblia, que é cheia de polêmicas:

Hoje as Escrituras têm má reputação. Terroristas usam o Corão para justificar atrocidades, e alguns afirmam que a violência de suas Escrituras tornam os muçulmanos cronicamente agressivos. Os cristãos fazem campanha contra o ensino da teoria evolucionista porque ela contradiz a história bíblica da Criação. Judeus sustentam que, por Deus ter prometido Canaã (Israel moderno) para os descendentes de Abraão, medidas agressivas contra os palestinos são legítimas. Houve um revival das Escrituras que se intrometeu na vida pública. Oponentes secularistas da religião afirmam que as Escrituras geram violência, sectarismo e intolerância; impedem as pessoas de pensar por si mesmas e estimulam a ilusão. Se a religião prega compaixão, por que há tanto ódio nos textos sagrados? É possível ser um “crente” hoje, quando a ciência solapou tantos ensinamentos bíblicos?

Um dos maiores problemas é interpretar mitos bíblicos como passagens literais:


O consenso entre os estudiosos é que a narrativa do Êxodo não é histórica. Há muitas teorias. O Egito dominara as cidades-estado cananéias desde o século XIX a.C., e havia se retirado no fim do século XIII, pouco antes que as primeiras povoações aparecessem na região montanhosa até então inabitável. Ouvimos falar pela primeira vez num povo chamado “Israel” nessa região por volta de 1200 a.C. Alguns estudiosos afirmam que os israelitas eram refugiados das cidades-estado em declínio nas planícies costeiras. Talvez tenham se juntado a eles outras tribos vindas do sul, que levavam consigo seu deus Jeová, que parece ter tido origem nas regiões em torno do Sinai, ao sul. Os que haviam vivido sob o domínio egípcio nas cidades cananéias talvez tenham tido a impressão de que haviam sido libertados do Egito – mas em seu próprio país.

O pentateuco, os cinco primeiros livros da bíblia, teriam inicialmente sido orais e depois de séculos registrados por escrito por escribas desconhecidos que atribuíram a Moisés seu conteúdo. Esse conteúdo teria sido reeditado por diferentes gerações, sem uma menção expressa no texto. J e E seriam diferentes escritores que seguiriam tradições orais diferentes, mas que tiveram seus textos reunidos no mesmo livro.

A religião israelita posterior iria se tornar apaixonadamente monoteísta, convencida de que Jeová era o único Deus. Mas nem J nem E eram monoteístas. Originalmente Jeová fora membro da Assembléia Divina dos “santos”, que El, o poderoso deus de Canaã, havia presidido com sua consorte Aserá. Cada nação da região tinha sua própria divindade padroeira, e Jeová era “o santo de Israel”. No século VIII, Jeová havia expulsado El da Assembléia Divina e reinava sozinho sobre uma multidão de “santos”, guerreiros do exército celeste. Nenhum dos outros deuses podia se igualar a Jeová na fidelidade a seu povo. Nisso ele não tinha pares, não tinha rivais.
Desde o começo, escribas de diferentes tradições divergentes gerariam conflitos na leitura do texto:

Um número significativo dos Escritos pertencia a uma escola distinta tanto da Lei quanto dos profetas. No Oriente Médio antigo, sábios ligados à corte como mestres ou conselheiros tendiam a ver toda a realidade moldada por um vasto princípio subjacente de origem divina. Os sábios hebreus chamavam isso de Chochmá, “Sabedoria”. Todas as coisas – as leis da natureza, a sociedade e os eventos nas vidas das pessoas – se conformavam a esse projeto celeste, que nenhum ser humano poderia jamais apreender em sua totalidade. Mas os sábios que devotavam suas vidas à contemplação da Sabedoria acreditavam que, ocasionalmente, a viam de relance. Alguns expressavam sua visão com máximas vigorosas como: “Um rei dá estabilidade a um país pela justiça, um extorsionário o leva à ruína”, ou “O homem que agrada ao vizinho estende uma rede sob seus pés”. A tradição da Sabedoria tinha originalmente pouca relação com Moisés e o Sinai, mas era associada ao rei Salomão, reputado por esse tipo de argúcia,16 e três dos Kethuvim foram atribuídos a ele: os Provérbios, o Eclesiastes e o Cântico dos Cânticos. Os Provérbios eram uma coleção de aforismos de senso comum, semelhantes aos dois citados acima. O Eclesiastes, uma meditação flagrantemente cínica, via todas as coisas como “vaidade” e parecia solapar toda a tradição da Torá, ao passo que o Cântico dos Cânticos era um poema erótico sem conteúdo espiritual aparente.
Livros como o atribuído a Enoque, patriarca bíblico misterioso, não foram incluídos na Bíblia, pois traziam uma concepção Divina diferente:

O autor do Primeiro Livro de Henoc imaginou Deus rasgando em pedaços a terra e a mosaica revelação no monte Sinai para começar de novo com uma tabula rasa. O autor do Livro dos Jubileus, amplamente lido no século II d.C., foi perseguido em razão da crueldade de alguns dos Escritos. Havia Deus realmente tentado exterminar a raça humana no Dilúvio, ordenado a Abraão que matasse o próprio filho e afogado o exército egípcio no mar dos Juncos? Ele concluiu que Deus não intervinha diretamente em assuntos humanos e que o sofrimento que vemos por toda parte à nossa volta era a obra de Satã e seus demônios.

Mesmo os ensinamentos de Jesus não trouxeram consenso interpretativo, seja para Judeus ou não judeus (gentios):

Jesus e seus discípulos vinham da Galiléia, no norte da Palestina. Depois de sua morte, mudaram-se para Jerusalém, provavelmente para estar a postos quando o reino chegasse, já que todas as profecias declaravam que o templo seria o pivô da nova ordem. Os líderes de seu movimento eram conhecidos como “os Doze”: no reino, governariam as 12 tribos de Israel reconstituído. Os integrantes do movimento liderado por Jesus participavam, juntos, de cultos, todos os dias, no templo, mas encontravam-se também para refeições comunais em que afirmavam sua fé na chegada iminente do reino. Continuavam a viver como judeus ortodoxos e devotos. Como os essênios, não tinham propriedade privada, partilhavam seus bens de maneira igualitária e dedicavam suas vidas aos últimos dias.10 Parece que Jesus recomendara pobreza voluntária e zelo especial pelos pobres; que a lealdade ao grupo devia ser mais valorizada que laços de família; e que o mal devia ser enfrentado com não-violência e amor. Os cristãos deviam pagar seus impostos, respeitar as autoridades romanas e não deviam nem cogitar em luta armada. Os seguidores de Jesus continuavam a reverenciar a Torá,13 a guardar o Shabat, e a observância das leis dietéticas era uma questão de extrema importância para eles. Como o grande fariseu Hillel, contemporâneo mais velho de Jesus, eles ensinavam uma versão da Regra de Ouro, que acreditavam ser o alicerce da fé judaica: “Assim, trate sempre os outros como gostaria que eles o tratassem; esta é a mensagem da Lei e dos Profetas.”

A situação não se resolveu com Paulo:

Paulo nem por um instante pensou que fazia uma “Escritura”; como estava convencido de que Jesus retornaria ainda durante a sua vida, nunca imaginou que as gerações futuras estudariam cuidadosamente suas epístolas. Era considerado um mestre consumado, mas tinha plena consciência de que seu temperamento explosivo significava que não era apreciado em toda parte. (...)
Mas Paulo nunca sugeriu que os judeus devessem cessar de observar a Torá, porque isso os teria posto fora da aliança. Israel recebera a preciosa dádiva da revelação no Sinai, do culto no templo, e o privilégio de serem “filhos” de Deus, desfrutando uma intimidade especial com Ele – e Paulo prezava tudo isso.33 Quando ele invectivava amargamente contra os “judaizantes”, não estava condenando os judeus ou o judaísmo em si mesmos, mas aqueles cristãos judeus que queriam que os gentios fossem circuncidados e observassem integralmente a Torá. Como outros sectários no final do período do Segundo Templo, Paulo estava convencido de que somente ele possuía a verdade.
_____________________________________________________________________

14 novembro, 2020

[Doc] Like A Machine - Eduardo Correa (2012)





Introdução 


Eduardo, é um fisiculturista de Florianópolis  conhecido como um dos melhores atletas do planeta em sua categoria, sendo o brasileiro que chegou mais longe em termos de títulos nesse esporte.

 O atleta, em seu documentário pessoal, tem sua rotina pessoal explicada e chegou a ser chamado por profissionais que acompanham seu dia a dia de "Like Machine" ( Como uma máquina), dada sua disciplina e garra.


Lições


Um pouco do que o atleta utiliza

Alimentos


  • salmão
  • filé de frango
  • filé de tilápia
  • brócolis, couve flor
  • cenoura
  • aveia (mingau de aveia, inclusive; receita aqui)
  • canela em pó
  • temperos sem sal 
  • whey, caseína


Drogas


  • creatina
  • glutamina
  • BCAA


Treino/Terapias



  • alongamento (sozinho, inclusive pré treino)
  • alongamento miofascial
  • quiropraxia
  • fisioterapia (preventiva, após os treinos)
  • nutricionista (acompanhamento)



Conclusão 


Essencial para os amantes do esporte.

Grande abraço!
________________________________________


11 novembro, 2020

Youtube é a Nova Televisão


Photo by freestocks.org from Pexels


Introdução 

No Post sobre o Fim do Blog do Corey, vários comentários de Anons trouxeram ao debate ideias sobre as mudanças nas redes sociais e seu impacto na qualidade do acesso a informação.

Infelizmente isso não é um problema recente. Recente talvez seja a possibilidade de percebermos isso coletivamente e podermos criticar essas mudanças.

Mercantilização da Informação 


"Muito se reclamava e reclama da TV aberta principalmente e da grande mídia pela falta de qualidade ou transparência, mas os canais do youtube em grande parte são a mesma coisa. Falta qualidade, transparência etc etc. Youtubers que mudam de opinião e foco conforme o momento, verdadeiros personagens que nem de longe fazem o que falam e mesmo assim conseguem milhares de fãs.

O ambiente de Youtube tá ficando cada vez mais artificial, acho que apesar do existirem fakes na blogsfera, o ambiente mais amador que existe aqui ainda ajuda para que as interações sejam m pouco menos falsas e artificiais do que lá."(Anônimo 07/11/2020 09:03)


Com a migração da audiência para as redes sociais, era só uma questão de tempo até a necessidade ou ganância financeira do criador de conteúdo abalar sua independência ideológica e afetar o resultado de seu trabalho.

Isso aconteceu no passado com os jornais impressos, com o rádio e, por fim, com a televisão. Não há nada de novo no mundo. Mídia do passado (rádio, jornais etc) tiveram seus tempos áureos também. Antes disso, imagino que os antigos formadores de opinião passaram pelo mesmo problema (sacerdotes comprados, políticos vendidos etc).

A única maneira prática que conheço de evitar esse mal é o financiamento direto e coletivo pela própria audiência da mídia, mas em um país pobre/ferrado como o nosso é bem difícil despertar essa consciência.

 Por isso, os anunciantes controlam o conteúdo: me soa como "se o lobo administrasse o galinheiro e determinasse qual tipo de ração as aves devem comer".


A morte de um Nicho


"Acho que por isso a finansfera está morrendo. As pessoas não tem muito saco mais para ler blogs, e os blogueiros não se sentem confortáveis em migrar para o Youtube, pelas razões que disse. E isso é muito triste, pois um dos nichos mais ricos da web está morrendo. Existem ainda esses sites de investimento, mas na finansfera a gente aprendia muito também sobre comportamento pessoal, algo inerente às finanças." (Anônimo 08/11/2020 11:29)


 É normal nichos encolherem: cada geração tem seus best-sellers.

Num país culturalmente ignorante como o Bostil, é natural que a palavra a escrita, matéria-prima do blogger, seja desvalorizada. Vivemos um ditadura digital da imagem e realmente não somos uma nação de apreciadores de textos.

É bom lembrar que a maioria da população não tem acesso a educação de qualidade e nem a condições dignas de vida - isso acaba se refletindo na criação de conteúdo: não adianta gastar "latim" como betas e os betas são a maioria. Logo o conteúdo mais popular não pode ser muito profundo, pois não há público culturalmente desenvolvido para absorver.

Com o tempo, muitos blogs, fóruns e comunidades especializadas deixaram de existir (CPTurbo, HTforum, Uol Jogos, Manicômio Share, Clube do Hardware, Orkut etc). 

O que sobrou no Facebook/Instagram nem chega perto da qualidade do conteúdo que foi perdido. Ainda há muita coisa boa no Youtube, mas tem que saber escolher.


Conclusão 


Sim, televisão morreu, o blogosfera está moribunda, o facebook é um zumbi e o youtube dá sinais de cansaço.

No final, isso não importa: não faltam opções de conteúdo.

Graças a Deus pelos livros, filmes e documentários produzidos nos últimos 3000 anos.

Grande abraço!

_________________________________________________

07 novembro, 2020

O Fim do Blog do Corey

 

Foto de Christian Montes no Pexels



Introdução 


2020 foi um ano infernal.

Um dos blogs mais antigos da época do "Pobretão Vida Ruim de Pobre" e legais de acompanhar acabou - eu mesmo era fã de um cara que manteve um perfil combativo de longa data na busca da IF: conseguiu, foi morar em Portugal e depois voltou para o Brasil. 

Longe de se perder em teorias ou tecnicismos, o blog mostrava o dia-a-dia de alguém extremamente prático e desapegado a bens materiais que enriquecia com frugalidade.


Memorial


Carreira - nunca foi divulgado em que área Corey era formado, mas se sabe que seu foco era o empreendedorismo, o que lhe permitiu atingir a IF depois de muito sofrimento e labuta. Ele era admirador do conceito de semi-aposentadoria.

  • Corey sabia comprar e vender empresas para maximizar ganhos, inclusive indicou um livro chamado "Como Comprar e Vender Empresas e Ganhar Muito Dinheiro, de Garret Sutton, que faz parte da série O Guia do Pai Rico

Tragicamente, quando vendeu suas empresas e ficou rico, meio que perdeu uma de suas maiores motivações na vida: o Trabalho.


Corpo - essa área passou por altos e baixos. Lembro que no auge do blog, Corey escrevia que acordava cedo para malhar na academia e depois ia encarar a labuta cheio de disposição. Infelizmente essa rotina saudável acabou sendo deixada de lado por razões não explicadas e também pela mudança de país, quando Corey se mudou para Portugal em busca de melhores ares longe da violência de São Paulo.

  • Alimentação  - nas poucas vezes em que mencionou esse tema, ficou claro que Corey tinha uma alimentação normal, sem as firulas do nerd de academia (wheyzinho, malto etc)

Finanças - Corey era mestre em Fluxo de caixa em suas lojas (por isso gostava tanto de FIIs) e paralelamente investia em Imóveis (houve vários posts sobre alugueis de apartamentos), títulos de renda fixa (TD, LCI, CDB),  FIIs e algumas ações (não era seu forte).

  • Ele também mantinha uma planilha de orçamento doméstica detalhada onde registrava receitas/gastos dele e da esposa.

Hobbies/Mente - o único hobbie que lembro de Corey manter era a leitura regular de livros, mas normalmente ele normalmente só divulgava livros sobre finanças. Ele também gostava de ter animais de estimação.


Organização - ele, como todos nós, lutava contra a procrastinação. Ele era um minimalista ferrenho (tudo que ele tinha em casa poderia ser reduzido ao que cabe na mala de uma picape).

  • Corey mantinha um pensamento extremamente frugal, como da vez que escreveu que resolveu trocar de carro e comprou um carro com dez anos de uso, mesmo podendo torrar uma grana em um zero.

Social  - ele adorava a vida, principalmente a diversão de viajar, conhecer outras culturas, restaurantes e até baladas. Valorizava a família (mesmo sem filhos) e a socialização com os colegas de trabalho, ainda que fossem subalternos e gostava de viver a vida com equilíbrio.


Conclusão 


O blog do Corey era um dos melhores da blogosfera.

Havia muitas lições de vida naqueles posts.

Desejamos ao Corey que seus planos de investimento deem certo, que suas metas sejam atingidas, mas principalmente que o geral seja mais equilibrado, sem altos e baixos. Que você tenha mais sossego, menos encheção de saco e aporrinhações.

Grande abraço!

__________________________________________________________

  • http://investidordefensivo.blogspot.com/search/label/semi-aposentadoria

03 novembro, 2020

O Hábito de se Vestir Bem

 

pexels




Introdução



Não tinha a menor noção de como é a melhor maneira de vestir.

  • Não que eu me vista bem no dia-a-dia. Entenda: moro no Hell de Janeiro e se vestir acima da média aqui pode gerar desde assédio de vizinhos invejosos a assalto de meliantes andrajosos. Prefiro me misturar à multidão, mas creio que todo homem deve ter uma noção decente de moda masculina.

O curso código estilo, que pode ser adquirido no site oficial, ensinou-me os detalhes mais importantes no vestuário e que não geram necessariamente um custo financeiro maior.


Por que se vestir bem?

  • Motivo 1 – Você se sentirá mais confiante
  • Motivo 2 – Você irá atrair os olhares das mulheres
  • Motivo 3 – Você pode encontrar seus clientes na rua

Acho que a  principal dica é sobre o caimento da roupa, ou seja, como ela se adapta ao formato de cada corpo (é óbvio que quanto mais magro e musculosos você estiver, melhor a roupa poderá se ajustar ao seu corpo - o básico continua sendo buscar manter um corpo forte).

Outros temas são abordados pelo curso, como tipos de corpo, construção do guarda-roupa, estilo, cores e sapatos, mas o post ficaria longo demais para abranger todos.


Recomendações


1 - Ideias Básicas

  • Sinta-se confortável no que estiver vestindo. Suas roupas, calçados e acessórios devem PARECER limpos sempre
  • Esteja confiante no que você veste.
  • Preço e valor são coisas diferentes, faça escolhas conscientes.
  • Vista-se de acordo com o seu corpo, eventos, clima e sua personalidade.
  • Tenha um alfaiate/costureira de confiança.
  • Tenha um barbeiro (ou cabeleireiro) de confiança.
  • Cuidado com a manutenção das roupas. Não lave desnecessariamente as roupas. Uma camisa dura em média 1000 ciclos, ela é considerada nova nos primeiros 100. O mesmo vale para outras roupas. Calças jeans podem ser usadas por quase 6 meses sem passar pela máquina.
  • Tudo tem o seu lugar (guarda-roupa ou closet).
  • Custo X Durabilidade: Saiba quanto realmente vale a sua roupa. Marcas não importam tanto assim. Saber se vestir e ter uma roupa que fica certa no seu corpo com um estilo legal vale muito mais do que roupas de marca.
  • Versatilidade e conforto são tão importantes quanto o estilo.
  • Pré-defina os detalhes.
  • Elogie livremente, mas reserve os conselhos de estilo para quando forem solicitados.
  • Desapegue daquilo que você não usa mais.



2 - Caimento




A ideia: as roupas devem seguir a proporção do corpo e, 
quanto mais proporcional seu corpo for, melhor.

Em amarelo o caimento ideal: nos ombros, no traseiro e com os botões fechados.


Clique para ampliar.

Imagem: vivaglammagazine.com





Exemplo Prático


Podemos perceber que pequenos ajustes fazem diferença, independente do preço da roupa.
Imagem: vivaglammagazine.com

3 - Cores



No começo opte sempre por cores mais neutras e que não vão chamar tanta atenção para a sua roupa. Quando você possuir uma boa quantidade de roupas neutras, aí sim você pode começar a optar por cores mais chamativas.


Cores como:
  • Branco
  • Azul Marinho
  • Azul Claro
  • Tons Cinza
  • Tons de bege
  • Cáqui
  • Marrom


4 - Camisas 


Camisas em ordem de decrescente de formalidade:

  • Social Branca
  • Social Azul clara
  • Social Azul marinho
  • Social Preta
  • Social Xadrez
  • Camisa estampada
  • Jeans
  • Polo lisa
  • Camiseta gola em V
  • Camisa henley
  • Regata


5 - Meias

Meia branca apenas para ir na academia.


Se estiver de bermuda e não estiver indo para a academia, não use meias ou use meias invisíveis (meias não aparentes).

Se você quer simplificar o uso de meias, então:
  • Use meias cinza para calçados claros;
  • Use meia preta para calçados escuros;
  • Use meias brancas somente para prática de esportes.

Na dúvida, use meia cinza.

7 - Sapatos


Esqueça os sapatênis.

Use tênis (apenas para a academia) ou sapatos normais de couro com sola de tamanho decente (para todas as demais ocasiões sociais).


8 - Guarda Roupa Atemporal Básico


8.1 - Versão Mestre Burguês Inglório


  • 1 casaco para neve
  • 1 casaco de couro
  • 2 moletons com capuz
  • 5 camisas brancas
  • 2 camisas azuis
  • 10 camisetas
  • 3 calças jeans
  • 1 calça caqui
  • 1 calça azul marinho
  • 1 calça preta
  • 2 vilebrequin
  • 1 tênis casual
  • 1 tênis de corrida
  • 2 sapatos de couro
  • 1 terno sob medida,


8.2 - Versão Código Estilo

  • 3 camisas sociais (1 branca, 1 azul clara, 1 azul marinho)
  • 1 jeans escuro (bom caimento, justo nas pernas, corte clássico, cintura média, sem pré-lavagem e sem rasgos, estilo levis 501)
  • 1 calça caqui ou "chino" neutra (algodão puro)
  • 1 calça de lã fina (cinza)
  • 1 blazer cinza, azul marinho ou preto
  • 1 terno azul marinho
  • 1 casaco cashmere de lã fina (suéter)
  • 1 casaco simples e bem ajustado (ex.: casaco de couro ou blazer de malha).

Conclusão



Conforme explica Paul Valéry: elegância é a arte de não se fazer notar, aliada ao cuidado sutil de se deixar distinguir.

Pague pela qualidade e compre menos - compre e use apenas boas e poucas roupas.


Recomendo acompanhar o site e o instagram de Alberto Solon para boas ideias: ele é o cara. 

Grande abraço!

________________________________________________________________




Sites Consultados:
  • http://www.oscarsobmedida.com.br/ 
  • http://codigoestilo.com.br/ 
  • https://posturadehomem.com/codigo-estilo-curso-de-moda-masculina-online/ 
  • http://albertosolon.com.br/tamanho-e-caimento-de-roupas/ 
  • http://www.sociedademodamasculina.com.br/dicas-rapidas/caimento-das-roupas/ 
  • http://vivaglammagazine.com/fashion-quick-tip-men-s/ 
  • http://www.canalmasculino.com.br/um-pouco-sobre-anatomia-proporcoes-e-caimento-de-roupas/ 
  • http://albertosolon.com.br/11-habitos-de-estilo/ 
  • https://www.artofmanliness.com/2017/11/15/affordable-alternatives-classic-luxury-watches/ 
  • https://www.artofmanliness.com/category/dress-grooming/ 
  • http://albertosolon.com.br/6-motivos-estar-sempre-bem-vestido/
  • http://albertosolon.com.br/pecas-essenciais-guarda-roupa-masculino/
  • http://albertosolon.com.br/formalidade-camisas-masculinas/
  • http://albertosolon.com.br/como-usar-meias-masculinas/
  • http://www.blogdoburgues.com/2016/10/o-guia-do-aportador-roupas.html